Quem é você na construção civil?

Email para Clientes inativos

Empreendedor, incorporador, construtora. Quem é você na construção civil?

Para quem está começando a carreira ou, de alguma maneira, teve os primeiros contatos com o setor da construção civil pode-se perguntar qual o papel de cada empresa envolvida com esse setor.

O setor de construção possui diversos agentes, empresas que podem ser agrupadas por sua atuações. Listaremos aqui os principais agrupamentos.

A primeira divisão do setor está no contratante. Dividimos as obras em Setor Público, quando contratadas diretamente pelo governo ou por suas autarquias, e em Setor Privado, para os demais agentes contratantes, pessoa jurídica ou física.

Em ambos os casos, Público e Privado, figura como papel principal o Empreendedor. Este é o nome para o “dono da obra”, quem decidiu por sua realização e irá arcar com todo o investimento necessário, seja ele com recursos próprios ou de terceiros, captados por meio de empréstimo financeiro.

No mercado imobiliário destinado a venda ou locação de unidades, ou seja, em que o empreendedor não será o usuário final da construção, sendo o seu interesse exclusivamente comercial, a este denomina-se Incorporador.

É mais comum o Empreendedor/Incorporador não deter as expertises operacionais de uma construção. Para tanto, contratam inicialmente Escritórios de Consultoria. Quanto maior a complexidade da obra, mais especialidades devem ser contratadas, sendo as mais comuns a Arquitetura, o Projeto e a Engenharia.

Dependendo também da complexidade da obra e da capacidade do Empreendedor / Incorporador acompanhar todo o seu processo de execução, efetuando aprovações e tomando decisões, muitas dessas de cunho técnico, este contrata uma empresa Gerenciadora.

A empresa Gerenciadora são os olhos do cliente na obra. Possui, entre suas atividades, a responsabilidade de integrar todos os agentes envolvidos com a construção. Parte dela, juntamente com o Empreendedor / Incorporador, a contratação da empresa Construtora.

Pode ser estratégico e economicamente viável que a execução da obra seja dividida em mais de uma empresa. Assim, teríamos, ao invés de apenas uma empresa Construtora, por exemplo, uma ou mais empresas Instaladoras, responsáveis pela parte elétrica, hidráulica, ventilação/ar condicionado, entre outras.

Na prática, a empresa Construtora acaba por fim em fazer o mesmo, contratar partes dos serviços que estão sob a sua responsabilidade com empresa terceirizadas, também conhecidas como Subempreiteiros.

O que vai delinear sobre assumir ou transferir a responsabilidade pelo gerenciamento / execução de parte da obra é a capacidade operacional do responsável em executar as tarefas diretamente.

Ao transferir as tarefas, seja no papel do Empreendedor / Incorporador a contratação da Empresa Construtora, ou da Gerenciadora, e na contratação dos Subempreiteiros, a todos caberão a necessidade de realizarem um bom gerenciamento dos fornecedores.

Em outro post, apresentamos o que seria a ferramenta denominada SRM, sigla em inglês para Supplier Relationship Management, ou traduzindo, Gerenciamento de Relacionamento com Fornecedores.

ConstruPlan é uma das soluções da ConstruSpace criada dentro do conceito de SRM para tornar a gestão de fornecedores na construção civil mais ágil e eficiente.

Marco Antonio Portugal

Marco Antonio Portugal

Civil Engineer | Director | Project Manager | Controller | CIO | Strategic Development | PMO | Compliance

Mestre em Gestão da Inovação e Engenheiro Civil pelo Centro Universitário da FEI, com MBA em Gerenciamento de Projetos pela FGV, MBA Executivo em Administração pelo Ibmec e MBA em Administração pelo Centro Universitário da FEI, possui mais de 25 anos de experiência no setor de Construção Civil. Possui certificação como Project Management Professional – PMP® pelo Project Management Institute – PMI.

Increva-se na nossa Newsletter

"Sim! Quero receber notícias que me ajudarão a aumentar a produtividade da minha empresa."

Inscreveu-se com sucesso em nossa newsletter!